Linguagem Corporal: quando o corpo fala sem a necessidade de palavras

Uma pesquisa realizada por cientistas especializados em comunicação não-verbal revelou que em uma conversa 55% do conteúdo da mensagem é transmitido via linguagem corporal, 38% é entendido por causa do tom de voz e apenas 7% é entendido por causa das palavras.

Impressionante, não?!

O resultado apontado pelo estudo confirma o que muita gente já sabia: o corpo fala. E fala muito. Nosso cérebro capta, mesmo que inconscientemente, as reações das pessoas com as quais nos relacionamos e as traduz em impressões e conceitos. Observando o vestuário, os movimentos dos braços e das pernas, a postura e coisas como o aperto de mão e o tom de voz, podemos descobrir se o indivíduo é inseguro, extrovertido, simpático ou retraído. E, além disso, podemos descobrir se ele está mentindo.

O alerta é válido, principalmente, para quem procura emprego. O candidato que concorre a vagas deve estar atento não só ao que é dito como também ao que não é dito, visto que recrutadores de todo o Brasil levam cada vez mais em conta a linguagem corporal em processos seletivos.

Listamos abaixo alguns pontos que merecem atenção redobrada:

Aperto de mão
Cumprimentar o outro com um aperto de mão forte é sinal de segurança. Um aperto de mão fraco ou dado com “a mão frouxa” é sinal de que a pessoa tem medo de ser envolvida.

Bolsas e pastas
Colocar a pastas e bolsas no colo indica que você está pouco a vontade e/ou na defensiva. O ideal é que você coloque esse tipo de acessório no chão, ao lado de sua cadeira.

Mão no queixo/morder caneta
Há duas maneiras de interpretar esses gestos. Num primeiro cenário a pessoa pode estar estimando alguma situação proposta, ao passo que em um segundo momento ela pode demonstrar desconfiança e desatenção. Se a mão fechada parar na frente da boca é sinal de que a pessoa deseja falar algo e não sabe exatamente como fazê-lo.

Mãos abertas/mãos fechadas
Mão fechada demonstra tensão e insegurança. Como se o candidato tentasse se agarrar a algo intangível para não cair e perder o prumo. Mãos abertas demonstram receptividade e que o profissional concorda com a situação.

Cruzar os braços
Passar parte do tempo de uma conversa com os braços cruzados pode significar que você não aceita de bom grado a informação que lhe é partilhada. Normalmente quem adota essa postura não muda de opinião e descarta tudo que lhe é dito.

Cabeça encolhida entre os ombros
Cuidado ao ficar com a cabeça encolhida entre os ombros. O recrutador pode encarar isso como um sinal de agressividade reprimida. Sente-se ereto e relaxado e, ao caminhar ou falar, estufe o peito e se mostre no controle de seu discurso.

por: Thiago Dantas.


Cadastre seu currículo na Manager Online e tenha acesso a milhares de ofertas de empregos!

 

You may also like...