Fui demitido. E agora?

João trabalhou no mesmo lugar por sete anos.

Ele, que começou como vendedor, tornou-se gerente e, mais tarde, coordenador em tempo recorde. Raramente chegava atrasado, seus subordinados o admiravam e seu trabalho, embora não recebesse todos os elogios que merecia, era respeitado por todos os seus superiores e colegas. Mesmo assim, um dia, inesperadamente, João foi demitido.

A história é fictícia, mas a gente sabe que casos como o descrito acima acontecem todos os dias. Embora o mercado esteja receptivo e aberto, os profissionais, fragilizados, não sabem ao certo como agir e o que fazer. Independentemente da situação, é preciso racionalizar os acontecimentos, conhecer seus pontos fortes e nem tão fortes assim e traçar uma estratégia para alcançar seus objetivos.

É preciso ter em mente que cortes e demissões não diminuiem o seu valor como profissional e que sempre há tempo para recomeçar. Se antigamente a idade pesava contra um candidato, hoje em dia a experiência pode se tornar um fator decisivo na hora da contratação – dependendo da área e do cargo. No setor financeiro, por exemplo, a maturidade profissional – contrapondo diretamente a escassez de mão de obra qualificada – é cada vez mais bem vista pelo mercado.

Esclarecida essas questões, é importante que o indivíduo faça uma auto-análise e descubra o que pode melhorar e aprimorar em si mesmo. Feito isso, é hora de buscar, efetivamente, uma nova oportunidade.

Ainda hoje há quem acredite que a maneira mais eficaz de conseguir um novo emprego é bater em porta em porta deixando currículos. Todavia as coisas não são mais assim há tempos. Com o avanço das tecnologias e a facilidade que a web proporcionou, procurar trabalho se tornou uma atividade bem menos cansativa e burocrática. Uma das formas mais efetivas é cadastrar seu currículo na internet, enviá-lo para as vagas disponíveis e esperar pelo melhor. Não à toa, em pesquisa realizada com executivos, foi constatado que quase 98% dos entrevistados acreditavam que a internet propiciava o aumento de oportunidades.

por: Thiago Dantas.

You may also like...